quarta-feira, 9 de abril de 2014

mal-dormir

Para uma pessoa como eu, que considera dormir não só uma arte suprema mas também uma das razões porque fomos postos no mundo, o mal-dormir é um martírio. O mal que se passa a dar voltas na cama a pensar no bem que sabe o sono justo antes do despertador tocar (ou nos vários snoozes que se lhe seguem) é uma tortura. Os pensamentos mais lúcidos do dia que surgem e não se apontam para "não despertar ainda mais", uma frustração.E o Marcelo rebelo de Sousa, um triste. 

2 comentários:

Vanita disse...

Afinal isto dos genes sempre tem razão de ser :)

Rita Luís disse...

dos genes ou da convivência.. A verdade é que ambos os lados da família nunca vi ninguém renegar a sesta - excepto o pequeno João, mas isso passa-lhe, tal como a mim me passou, quando deixar o infantário. :)

Enganados